Experiência de uma Diretora de Escola com a visão sistêmica de Bert Hellinger

Ao conhecer os ensinamentos de Bert Hellinger em grupos de  workshops com as Constelações Sistêmicas familiares, venho aos poucos desenvolvendo uma nova postura que toma conta do meu dia a dia.

Na função de diretora de escola publica, senti que algo faltava e passei a observar como as coisas aconteciam com um novo “olhar”, acredito que um olhar sistêmico, que veio de encontro após as leitura dos livros “A alma do negócio” de Jan Jacob Stam e “Você e um de nós” de Marianne Franke.

Aos poucos fui percebendo que o sistema escolar estava em desequilíbrio, não havia respeito pela hierarquia, a ordem estava confusa e como estou há muito tempo na escola constatei que os problemas se repetiam: as novas direções iniciavam bem mas depois começavam os conflitos, como um filme que contava a mesma história com personagens diferentes. O dar e receber; e o reconhecimento também estavam em desequilíbrio. Existia um sentimento de que se trabalhava muito e com dedicação e se recebia pouco em troca, sentimento esse, presente em todos os setores da escola. Ao encontrar as pessoas que saíram da escola, inclusive as que se aposentaram, essas relataram a falta de algo, como se faltasse reconhecimento.

No caminho do pensamento sistêmico, no meu lugar de diretora e com um novo olhar para todos os que saíram e todos os que estavam na escola, com um imenso amor e respeito a cada um do jeito que cada um é, fazendo parte daquele contexto de relações, iniciei humildemente e devagar uma atuação sistêmica. Com uma força que não consigo explicar, mas com uma grande modificação interna acontecendo não apenas dentro de mim, mas no todo que envolvia aquela escola, vi essa atuação crescer de forma inesperada.
Algumas dessas modificações estou compartilhando em relatos de experiências que proporcionaram mudanças sensíveis no contexto e historia dessa escola.
Cito abaixo apenas uma delas.

Placas de respeito e reconhecimento

Fizemos uma placa individual contendo: nome e data do período de gestão dos diretores que passaram por esta escola. Estas placas foram afixadas ao lado da placa de inauguração da escola na sequência da ordem dos dirigentes.
Construímos um templo de oração ecumênico respeitando todas as religiões.

O dia da inauguração do templo foi o mesmo dia em que homenageamos todos os diretores que passaram. Para este dia convidamos os quatro diretores anteriores, apesar de apenas o último poder comparecer, todos foram lembrados e homenageados. Foi um momento mágico onde todos alunos, professores, demais funcionários e pais estiveram presentes com uma emoção que para muitos foi inexplicável.

No momento solene da faixa de inauguração do templo e retirada do pano que cobria as placas fiz um agradecimento a todas as diretoras que vieram antes citando o nome completo de cada uma e o tempo de gestão, agradeci o empenho e dedicação, a forma individual em que cada uma conduziu no trabalho, o respeito que tiveram por todos que passaram e ainda estavam na escola e que entendia que a forma com que dirigiram a escola foi a certa para aquele momento. Olhei nos olhos da diretora anterior a minha gestão, senti meus pais como se estivessem atrás de mim e pude também sentir como se os pais dela estivessem atrás dela e senti a força dos quatro diretores que vieram antes, agradeci e pedi com respeito que ela olhasse para o meu trabalho e para tudo que eu fizesse ali naquela escola com carinho. Fiz uma grande reverência a ela e extensiva a todas as outras que imaginei estarem atrás dela, Naquele momento senti que algo muito forte acontecia, mas não consigo descrever; apenas que meu coração estava cheio de alegria, amor e respeito pela oportunidade de viver o momento.

Hoje, quatro anos depois, sei como foi importante o que fizemos naquele dia, mesmo que muitas pessoas ainda não o entendam, iniciou-se um caminho de respeito a tudo e a todos naquela escola, onde as contribuições individuais são importantes, as pessoas passam, mas deixam e levam algo. Fica um sentimento profundo de que o beneficio desse trabalho não envolve apenas funcionários, mas os alunos e suas famílias.

Hellen Vieira da Fonseca.

Ex-diretora de escola para o ensino especial em Taguatinga-DF.
Outubro – 2007

Caso esse texto lhe seja útil de alguma forma e você queira utilizá-lo, para nós é uma honra servi-lo. Só lhe pedimos, por gentileza, que cite a fonte.

Fonte:  http://constelacaofamiliar.net.br/experiencia-de-uma-diretora-de-escola-com-visao-sistemica-de-bert-hellinger/